segunda-feira, 12 de junho de 2017

Jari Celulose demite quase 500 trabalhadores

 Foto: Google
Trabalhadores foram dispensados sem receber os direitos trabalhistas, mesmo depois de ter recebido empréstimo do BNDES


A economia do município de Laranjal do Jari, no Sul do Estado do Amapá , levou mais um duro golpe. No total, 468 trabalhadores que prestavam serviços para a Jari Celulose foram dispensados. E o pior, sem o pagamento das indenizações.

O assunto foi discutido na noite deste sábado (10) entre representantes dos trabalhadores, a direção do sindicato da categoria, os senadores Davi Alcolumbre (DEM) e Randolfe Rodrigues (REDE), e o prefeito de Laranjal, Márcio Serrão.
Os trabalhadores eram funcionários da NDR Agro Florestal, prestadora de serviço da Jari Celulose. Os senadores se comprometeram em fornecer assistência jurídica aos trabalhadores e denunciar o caso às autoridades. O advogado trabalhista Alberto Alcolumbre orientou os trabalhadores a ingressar com ações contras as duas empresas.

Trabalhadores foram orientados a ingressar com ações contra as duas empresas

Em junho de 2016, o presidente do Grupo Jari, Sérgio Amoroso, foi até o Senado Federal para pedir apoio dos senadores do Amapá para que o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) aprovasse um refinanciamento para a empresa, que paralisou suas atividades, entre 2013 e 2014.

Estimasse que mais de 90 mil pessoas das cidades de Laranjal e Vitória do Jari dependam economicamente da Jari Celulose. Depois de articulações, o recurso foi liberado em agosto do ano passado. Os dois senadores consideraram que houve má fé da empresa.

Randolfe disse que vai pedir para integrar a CPI que vai investigar os últimos empréstimos do BNDES.

Senadores vão pedir investigação do empréstimo feito à Jari Celulose

“Quando fizemos a gestão junto ao BNDES, pretendíamos assegurar os empregos no Vale do Jari. Demitir trabalhadores com oito, dez, quinze anos dedicados às empresas, após receber o financiamento e ainda por cima não pagar direitos foi um absurdo. Podem ter certeza que tomaremos providências com relação a isso. Garanto a vocês que venceremos esta batalha”, frisou Davi Alcolumbre.

“Com estes cidadãos sem emprego, o problema econômico e social é gravíssimo. Eu e senador Davi saímos hoje daqui com a responsabilidade de já na segunda-feira (13), irmos até a Justiça do Trabalho apelar para que a lei se cumpra e os direitos dos trabalhadores sejam garantidos. Qualquer decisão deverá condenar uma das empresas. Não vejo como ser diferente. Também irei procurar o Ministério Público do Trabalho e solicitarei que não só acompanhe a questão, mas seja rigoroso com a empresa Jari”, adiantou Randolfe Rodrigues.

Via : Seles Nafes

POSTAGEM EM DESTAQUE

LICENÇAS DA POLÍCIA CIVIL PARA FESTAS VÃO DEPENDEM DE LIBERAÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

As licenças da Delegacia de Polícia Civil para festas na cidade de Coelho Neto - MA dependem agora da liberação por parte da Secretari...