sexta-feira, 16 de junho de 2017

Concurso da Polícia Rodoviária Federal deve abrir inscrições em breve

CONCURSO_(Medium)

Teve uma nova tramitação o pedido de abertura do novo concurso para ingresso na Polícia Rodoviária Federal (concurso PRF 2017). Ainda no Ministério do Planejamento, o documento precisa da chancela do órgão para liberação dos recursos necessários para convocação dos aprovados.

CONCURSO_2_(Medium)
A portaria nº 2734/2016 publicada pela Controladoria-Geral de Recursos Humanos da PRF (CGRH) constituiu um Grupo de Trabalho para a elaboração do documento que regerá a nova seleção para o cargo de Policial Rodoviário Federal. Este grupo já finalizou a proposta do edital e todas as diretrizes para o bom andamento da nova seleção. A comissão promoveu a análise de editais anteriores, fez levantamento de impedimentos à realização das etapas e mapeou as vulnerabilidades apontadas nas diversas ações judiciais antecessoras, com o objetivo de aprimorar os procedimentos do novo concurso. 

O Diretor de Recursos Humanos da PRF disse que aguarda a autorização do Ministério do Planejamento, para então começar os trâmites para contratação da banca organizadora, e que o edital da seleção sairá em até 3 meses após a autorização do MPDG. Ainda não há definição do número de vagas que serão oferecidas, mas o pedido dá conta de 1.200 oportunidades.

Remuneração - Uma boa notícia para os interessados no ingresso na PRF, é o aumento de salário da categoria. A remuneração inicial da carreira, que era de R$ 7 mil, passou para R$ 9.043,98 em janeiro de 2017, após a sanção do projeto de lei 5865/2016, que reestrutura os vencimentos. Há ainda o benefício de auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00 e a jornada de trabalho é de 40 horas semanais. Para fazer parte do quadro de policiais rodoviários federais é necessário ter ensino superior completo em qualquer área de formação e ainda carteira de habilitação, no mínimo em categoria "B".

NOVOS CONCURSOS

Mesmo após anunciar a suspensão de novos concursos em 2017, o Ministério do Planejamento não descarta fazer ajustes pontuais e autorizar algumas seleções. Em documento interno divulgado, o MPDG citou que "se houver, no futuro, uma situação de grande necessidade ou emergência, o governo federal considerará novas autorizações para realização de concursos públicos". Foi o que aconteceu na ANVISA, que teve seleção autorizada e publicou edital em agosto do ano passado.

Um novo concurso na Polícia Rodoviária Federal se faz necessário para aumentar o efetivo e não paralisar as atividades pelo país. O Diretor da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FENAPRF), afirmou que pode haver um colapso no serviço devido à falta de pessoal caso não abram concursos nos próximos anos. A defasagem já atinge mais de 3 mil profissionais, com um quadro atual de 10.200 policiais em um cenário que deveria ter até 13.100 profissionais, segundo dados do próprio governo. A PRF tem um grande número de servidores que podem se aposentar e isso reforça a necessidade de um novo concurso. Segundo a assessoria do órgão, o que agrava a atual situação é que mais de 3 mil policiais poderão solicitar aposentadoria entre 2016 e 2017, mais de 35% do efetivo total. O pedido para o concurso que está tramitando no Planejamento teve a última atualização no fim de 2016.

Com a prorrogação do prazo de validade do último certame em 2013, a PRF nomeou aprovados até maio/2016, quando então encerrou o prazo de vigência.
Segundo as atribuições do cargo, Policiais Rodoviários atuam na fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições relacionadas com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Caso a organizadora mantenha-se como no último certame - Cespe/UnB - e não houver alterações na estrutura do concurso, a seleção deve ser composta por: provas objetivas de conhecimentos gerais e específicos; provas discursivas; exame de capacidade física, com testes de flexão em barra física, impulsão horizontal, flexão abdominal e corrida de 12 minutos; avaliação de saúde, psicológica e de títulos, além de investigação social e/ou funcional.

De acordo ainda com a última seleção da PRF, as provas foram compostas de questões sobre: língua portuguesa, matemática, noções de informática, ética no serviço público, noções de direito constitucional, administrativo, penal e processual penal, legislação especial e relativa à PRF, direitos humanos e cidadania e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.


Fonte: Ascom